quinta-feira, 23 de junho de 2011

O silêncio de uma palavra



É como se tudo começasse e não tivesse mais fim, relativo ao tempo, ou ao silêncio de uma palavra. Por exemplo: como quando você diz que algo é pra sempre, é como se não precisasse de uma narração, porque o observado e quem prática a ação é você, então não precisa de narração, porque você é o personagem principal. Não ser literal é o que faz a beleza das coisas, do fato.

É como tentar narrar algo que nunca aconteceu, ou como imaginar algo que estar pra acontecer, mas você nunca faz o algo que você imaginou tudo sempre muda. E a narração principal acaba sendo a aleatoriedade dos fatos, não precisa ser literal.  

É como se as coisas apenas se encaixassem, é como retirar os mais diversos sons do silêncio, as coisas simplesmente acontecem. Desfrute. 

Aldeny Rodrigues.

3 comentários:

  1. Tem coisas que não precisam de narração. Apenas observar basta.

    Bom texto!

    http://semdorsemvitoria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Excelente texto!
    As coisas simplesmente acontecem ...

    ResponderExcluir